Sejamos incontroláveis então… e que a gente não desista porque ninguém acredita
Preciso admitir, sou muito irônica, e grossa as vezes, um pouco meiga de vez em quando. Gosto do meu lado apaixonada, mas quase nunca aparece. E meu lado safado chega a me assustar. Protetora e ciumenta ao extremo. Tenho um gênio difícil e um temperamento forte. As vezes sou barraqueira, outras, calma até demais. Dura como uma pedra e frágil como um vidro. Um poço de orgulho, e mais conhecida como a rainha do drama, essa sou eu. E sabe o que mais me assusta? Ainda tem gente que gosta.
Tati Bernardi.  (via hifens)
E no meio de tanta gente eu encontrei você. Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio. E eu que pensava que não ia me apaixonar, nunca mais na vida. Eu podia ficar feia, só perdida, mas com você eu fico muito mais bonita, mais esperta. E podia estar tudo agora dando errado pra mim, mas com você dá certo. Por isso não vá embora, por isso não me deixe nunca, nunca. Eu podia estar sofrendo caída por aí, mas com você eu fico muito mais feliz, mais desperta. Eu podia estar agora sem você, mas eu não quero, não quero.
Marisa Monte.   (via alentador)
Um dia você entende que o tempo não é inimigo. E que ele é o nosso maior mestre. Que tudo vem na hora que deve vir. Que não adianta espernear nem se esconder da vida. Que a fuga não é a melhor saída. E que no fim das contas a gente sempre acaba agradecendo tudo que passou. Porque o tempo (ah, o tempo!) está sempre ao nosso lado para nos mostrar o que realmente vale a pena.
Clarissa Corrêa (via aprendiz-de-girassol)
A gente briga, se desentende, bate a porta, pisa duro e sai dizendo que nunca mais vai voltar. Mas no fundo, a gente sabe que se pertence. E cada pedacinho meu é teu, e cada pedacinho teu é meu.
3x4.       (via declamador)
Bem, eu realmente aprendi algumas coisas e uma delas é que a felicidade não tem nada a ver com a aprovação das outras pessoas. O que é realmente importante é estar feliz com você mesmo, encontrar alguém que é importante para você e seguir adiante sem ligar para que os outros falam.
Kurt Cobain.   (via inverbos)